A Cerveja Artesanal Molotov foi um projeto do Coletivo Aparecidos Políticos, em parceria com o cervejeiro Vicente Monteiro, criada inicialmente para ajudar a sustentar financeiramente nosso espaço físico, denominado Aparelho.

Segue abaixo uma matéria vinculada à Cerveja assim como fotografias:

Grupo de fortalezenses cria cerveja 100% artesanal com nome peculiar

Na terra da cachaça um grupo de fortalezenses se uniu para produzir uma cerveja 100% artesanal. E com um nome bem peculiar: Molotov. Em referência ao coquetel Molotov, que foi um artefato explosivo usado pela 1ª vez na União Soviética durante a II Guerra Mundial.

A conversa acerca da produção da Molotov surgiu em abril de 2013. Alexandre Mourão, que junto a Marcos Vinícius, faz parte do Coletivo Aparecidos Políticos, conversou com um outro amigo que tinha interesse em desenvolver uma cerveja artesanal. Eles se uniram e começaram a pesquisar as formas de produção. “Tínhamos a ideia, estudamos um pouco e fizemos.”, conta o artista do grafite Marquinhos, como gosta de ser chamado.

Marquinhos descreve a Molotov como uma “cerveja de classe” e o 1º lançamento da ideia foi bastante satisfatório. Ele conta que eles compraram uma cerveja já existente no mercado e mudaram apenas o rótulo. “Foi um sucesso. As pessoas estavam bebendo a cerveja que já existia, mas com o nosso rótulo e quando elas passaram a beber a cerveja com o rótulo original, elas comentaram que preferiam a Molotov. Mas na verdade, o tempo todo era a mesma cerveja”, comemora.

Processo

Todo o processo é caseiro, todo o material foi comprado pelos idealizadores. Panelas normais, fogão e geladeira convencionais. E tudo feito na cozinha.

Marquinhos conta que o processo leva um mês e que o lançamento da cerveja, em abril, depende do fim da fermentação da cerveja. “Do dia que começamos até a cerveja fermentar completamente vai levar um mês. Nesse momento ela está em processo de fermentação”, explica. E os 20 litros que estão fermentando vão render cerca de 40 long necks.

Vendas

Quando perguntando sobre a possibilidade de colocar a Molotov no mercado, Marquinhos é taxativo ao afirmar que, por enquanto, a cerveja funciona como uma intervenção. “Nunca pensamos na possibilidade de comercializar. É uma intervenção. O intuito é fazer as pessoas refletirem e mostrar que é simples fazer e qualquer um pode produzir em casa”, afirma.

Sobre o Coletivo

O Coletivo Aparecidos Políticos, segundo Marquinhos, desenvolve intervenções urbanas fazendo a cidade pensar, agir e movimentar uma discussão em cima de um tema delicado: os presos políticos que sofreram na época da Ditadura. E a ideia da cerveja surgiu exatamente com a proposta de gerar uma intervenção.

“As intervenções são diversas, um dia a gente pode resolver fazer uma pizza revolucionária”, diverte-se Marquinhos. A cerveja foi criada para gerar curiosidade nas pessoas que bebem e fazer elas pesarem além da bebida. E também, claro, para satisfazer um desejo dos criadores: desenvolver sua própria cerveja.

Link: http://tribunadoceara.uol.com.br/noticias/ceara/grupo-de-fortalezenses-cria-cerveja-100-artesanal-com-nome-peculiar/

Fotos:

foto1

foto2

foto3

foto4

foto5

 

foto6

 

 

 

 

cerveja arterafael
Uma das versões do rótulo da nossa Cerveja Artesanal Molotov baseado na série “Sacro Rebellis” do artista Rafael Limaverde
Cervejeiras feministas em ação no Rio de Janeiro
Participação no I Encontro Nacional de Cervejeiras Feministas, no Rio de Janeiro

Cervejeiras feministas em ação no Rio de Janeiro (Reportagem Brewfeed)


Primeiro rótulo da Cerveja Artesanal Molotov
A imagem pode conter: bebida

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.