Entre os meses de abril e maio de 2012, Campinas (SP) e Marabá (PA), vão captar transmissões radiofônicas fora do convencional, com informações sobre os desaparecidos políticos da ditadura que governou o Brasil, de 1964 a 1985. O projeto Intervenção Urbana pelo Ar, que prevê a troca de informações com as comunidades locais, foi contemplado no Edital Rede Nacional Funarte Artes Visuais – 8ª Edição (2011). A iniciativa do grupo Os Aparecidos Políticos, de Fortaleza (CE), inclui a realização de oficinas gratuitas de radioarte.

O projeto tem como meta uma intervenção urbana, através de transmissões na FM 103,5, que vai atingir um raio de dois a quatro quilômetros, também disponibilizadas pela Internet – através de uma perspectiva de radioarte. O coletivo cearense pretende, em cada cidade, lançar uma procura por 180 desaparecidos políticos, ou por seus restos mortais, por meio de relatos, depoimentos e músicas, enviados pela comunidade. O objetivo do projeto é possibilitar discussões, sobre direito à memória, à justiça, à verdade e à democratização da comunicação. Estão previstas ainda oficinas para artistas, membros de movimentos sociais, e moradores dos locais atingidos, e ainda uma palestra, sobre os resultados do projeto, oferecida em Fortaleza.

“As cidades para as atividades não foram escolhidas à toa, mas sim a partir de dois pontos de atuação do grupo: o primeiro é o questionamento sobre a ausência de uma justiça de transição – posterior ao período de Ditadura civil-militar; o segundo ponto, consequência do primeiro, é a falta de democracia nos meios de comunicação”, diz Alexandre Osvaldão, integrante de Os Aparecidos Políticos. Ele explica que a primeira cidade envolvida, Campinas, destaca-se na conjuntura nacional, por ser um espaço de referência e resistência para os movimentos de rádios livres e alternativas. “Já o segundo município, Marabá, está na região que abrigou um dos maiores focos de resistência à Ditadura civil-militar brasileira: a Guerrilha do Araguaia, que custou a condenação do Brasil, na Corte Interamericana de Direitos Humanos, por violações diversas, como encobrimento de arquivos e ocultação de cadáveres, entre outras”, destaca o artista.

Os Aparecidos Políticos é, por definição, um grupo artístico e político. Desde outubro de 2010, ele desenvolve intervenções urbanas, em parceria com movimentos sociais, organizações e outros coletivos artísticos. Suas ações tem como referência a memória opositores políticos da Ditadura de 64, mortos ou desaparecidos. O grupo defende, também, a mudança de nome dos espaços públicos batizados com nomes de ditadores; luta pela abertura dos arquivos da ditadura brasileira, além de propor a articulação desses movimentos com o pleito pela democratização dos meios de comunicação, atuando através de experimentos com a linguagem do rádio.

Material distribuido gratuitamente nas oficinas
Participação na Rádio Muda
Oficina em Campinas-SP
Foto com o ex-guerrilheiro do Araguaia
Na Rádio Muda
Na antiga base militar de Bacaba
Montando a antena da Rádio Livre
No destacamento A da guerrilha do Araguaia
Com o Coletivo Político QUEM

Na Rádio Muda