CSU na Borges de Melo

Os Aparecidos Políticos, coletivo de intervenção urbana que propõe uma relação entre Arte e Política, vem por meio deste fazer um chamado a todas as organizações, coletivos artísticos, movimentos sociais e sociedade civil para um Rebatismo Popular do Centro Social Urbano Presidente Médici para o nome de Edson Luís: o primeiro estudante assassinado covardemente pela Ditadura civil-militar brasileira no dia 28 de março de 1968

Como já é sabido, mesmo depois da redemocratização do Brasil, ainda vivemos parte dessa ditadura instaurada no pais há mais de 20 anos. Muitas pessoas pensam que aquele período terminou de forma limpa e querem colocar ‘panos quentes’ argumentando que quem falar sobre isso está querendo fazer ‘revanchismo’ ou ‘está tocando no que não se deve’. A maior prova disso não é apenas a permanência de nomes de militares golpistas nas ruas, instituições e até municípios do nosso País, mas na forma como aquelas práticas tão comumente empregada naquele período ainda se perpetuam até hoje. Seja nas torturas praticadas a adolescentes nos Centros Educacionais ou na falta de democratização dos nossos meios de comunicação, ainda ‘sobra’ muita coisa dos ‘anos de chumbo’. Temos exemplos práticos disso:

Na nossa cidade, trabalha em um órgão público (a Corregedoria, uma espécie de ouvidoria da Polícia), um ex-delegado da Polícia Federal acusado de ser conivente com crimes de tortura militar, sendo citado inclusive num texto da Arquidiocese de São Paulo. A outra prova, motivo explícito desse comunicado, é a existência e permanência do nome de um dos presidentes mais repressores da história do nosso país no Centro Social Urbano da nossa cidade: Emílio Garrastazu Médici, nome que batiza o local, marcou um período com recrudescimento da repressão política, da censura aos meios de comunicação e pelas denúncias de tortura aos presos políticos.

Entendendo que nomes de assassinos não devem estar estampados nos muros da nossa cidade, nem tampouco levar cargas simbólicas e materiais da repressão, pois isso de certa forma ajuda a manter uma cultura daquele período, é que propomos a troca do nome daquele local, pelo nome de ?Edson Luís?: estudante assassinado por essa mesma ditadura no dia 28 de março, dia no qual fazemos, hoje, esse rebatismo.

Traga sua forma de expressão e venha se somar conosco na segunda-feira, dia 28 de março, às 18h, no Centro Social Urbano. (Av. Borges de Melo, 910. Parreão)

OBS: Aproveitamos pra divulgar outro REBATISMO POPULAR da Praça 31 de Março na Praia do Futuro para a Praça Dom Hélder Câmara. Será no dia 31 de Março, às 16h

Para que não se esqueça, para que nunca mais aconteça!

Pela punição aos torturadores!

Pela abertura imediata dos arquivos da ditadura militar no Brasil!

Contra a criminalização dos movimentos sociais!

Edson Luís vive!

Os seguintes movimentos e organizações, ou pessoas ligadas diretamente a eles, foram convidados:

Associação Anistia 64-68; Centro Acadêmico Caldeirão – História UECE; Centro Acadêmico Frei Tito de Alencar – História UFC; Coletivo Curto-Circuito; Crítica Radical; Instituto Frei Tito de Alencar; Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem-Terra; Organização Resistência Libertária; PSOL – Partido Socialismo e Liberdade; Peça de Teatro ‘Filha da Anistia’; Rede Estudantil Combativa e Classista;

OBS: Aproveitamos pra divulgar outro REBATISMO POPULAR da Praça 31 de Março  na Praia do Futuro para a Praça Dom Hélder Câmara. Será no dia 31 de Março, às 16h.